Pisos para escolas: como escolher o certo - Ateliê Urbano
 

Pisos para escolas: como escolher o certo

Pisos para escolas: como escolher o certo

Na hora de construir ou reformar uma escola é muito comum surgirem dúvidas sobre os melhores acabamentos de piso a serem aplicados. São tantas opções no mercado e tantas novidades que a decisão fica difícil e nem sempre é a mais acertada.

Como qualquer outro ambiente comercial, as escolas precisam de pisos que sejam duráveis, tenham uma manutenção simples e que sejam esteticamente agradáveis. Entretanto há um ponto a mais que não pode ser ignorado: a segurança, e se estamos falando de berçários e escolas de educação infantil a atenção a este ponto deve ser redobrada.

Diante de tantos detalhes e opções algumas dicas podem facilitar muito a vida do gestor na hora de escolher a melhor opção de acabamentos de piso para a sua escola:

1 – Analise a faixa etária das pessoas que utilizarão aquele espaço.

Pensar somente na estética pode ser um erro fatal na hora de escolher um piso. A idade dos alunos que frequentarão o espaço é um dos fatores que influenciam diretamente na hora da decisão de compra. Se estamos falando de bebês de até 3 anos os pisos que oferecem conforto ao engatinhar, rolar e iniciar os primeiros passos são os melhores. Quando falamos de crianças e adolescentes a resistência ao uso intenso e a facilidade de limpeza não podem ser esquecidas.

2 – Áreas externas precisam de pisos especiais.

No geral vemos mais dúvidas de gestores quando falamos de pisos para áreas externas. No mercado encontramos muitos pisos que se dizem antiderrapantes, mas que na verdade quando em contato com a água se tornam verdadeiras armadilhas.

Em playgrounds sempre indicamos os pisos de borracha (monolíticos ou em placa). Seu custo é um pouco mais elevado, mas tem grande durabilidade e segurança garantida.

Para áreas de circulação externa existem ótimas opções de porcelanatos e pisos cerâmicos de diversas cores e padrões. Para escolher um piso que realmente seja antiderrapante é importante ficar atento à classificação da ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas, que define onde cada revestimento pode ser utilizado de acordo com o seu desempenho.

Não acredite no que os vendedores te empurram e fuja dos pisos “antiderrapantes” que ficam nas pilhas de promoções em frente aos grandes Home Centers.

3 – Antes de comprar: orce e compare.

A compra por impulso pode ser o seu pior inimigo na hora da escolha do revestimento. Fazer um projeto antes garante que você tenha esgotado as possibilidades e facilita o seu processo de decisão.

Veja o produto, confirme se ele realmente atende à todas as suas necessidades e entenda como funciona a garantia e manutenção oferecidas pelo fabricante e pelo instalador.

Muitas vezes “excelentes oportunidades” podem camuflar pisos bonitos por fora, mas que não funcionam para o que você precisa ou cuja qualidade é péssima.

4 – Cuidado com a instalação.

É comum fazer a escolha certa do piso e depois sofrer por conta de uma instalação malfeita.

O profissional que for executar o serviço tem a obrigação de saber como trabalhar com aquele material e alertar para problemas futuros que possam acontecer por conta de uma base mal executada, ou de uma instalação feita fora do tempo correto, por exemplo.

Pisos assentados com colas a base de água não podem ser colocados em contrapisos ainda molhados, com o tempo eles descolarão e todo o investimento será perdido. Pisos rígidos pedem contrapisos firmes que não se esfarelem com o passar do tempo e causem a quebra das peças. Pisos de grandes formatos devem ser colocados sobre bases bem niveladas.

Estes cuidados garantes a durabilidade e a beleza dos revestimentos, bem como a segurança dos alunos, pais e funcionários.

Como todo o processo de compra a escolha dos pisos exige planejamento. Utilizar um pouco mais de tempo analisando as reais necessidades da escola e as inúmeras possibilidades que o mercado oferece pode economizar muitas dores de cabeça e frustações futuras.

O auxílio de bons profissionais em todo o processo também é muito importante e pode livrar o gestor de grandes ciladas e pegadinhas da moda.

Esse artigo da nossa arquiteta Claudia Mota foi postado primeiro na Direcional Escolas.

Ateliê Urbano
atelieurbano@atelieurbano.com.br

Unir criatividade, técnica e inovação em seus projetos é o sonho de todo arquiteto, e quando o Ateliê Urbano nasceu em 2003 era esse o nosso objetivo. Hoje nos sentimos realizadas em ver que nosso trabalho nos fez conseguir algo ainda maior do que o objetivo inicial. Hoje realizamos sonhos.

Sem comentários

Faça um comentário

× Fale com nosso time!